27 de junho de 2009

Artistas comentam a morte de Michael Jackson


A magnitude da obra de Michael Jackson e sua perda no mundo musical podem ser medidas através da repercussão que sua morte precoce teve ao redor do mundo. Artistas de vários estilos, políticos, fãs conhecidos e desconhecidos, todos lamentam a perda de um dos maiores músicos do século XX. Leia a seguir alguns comentários de personalidades influentes sobre a morte de Michael Jackson:


"Não consigo parar de chorar. O mundo perdeu um grande artista, mas sua música vai permanecer para sempre."
Madonna, 50, cantora, em declaração oficial

"Estou totalmente devastado por esta trágica e inesperada notícia. Michael tinha tudo: talento, graça, profissionalismo e dedicação."
Quincy Jones, 76, produtor musical que trabalhou com Michael Jackson no álbum "Thriller" (1982)

"O mundo perdeu uma de suas figuras mais influentes e icônicas. Desde suas apresentações com o Jackson Five à estreia do passo 'moonwalk' e do álbum 'Thriller', Michael foi um fenômeno do pop que nunca parou de impulsionar a criatividade."
Arnold Schwarzenegger, governador da Califórnia

"Lamento que um talento tão grande, tão incrível vá embora tão cedo -um talento que proporcionou grandes momentos. Vou sentir saudade do rei do pop."
Gilberto Gil, 67, cantor e compositor

"É tão triste e chocante. Sinto-me privilegiado por ter conhecido e trabalhado com o Michael. Ele era um garoto talentoso, maciçamente homem com uma alma gentil. Sua música será lembrada para sempre e as minhas memórias do nosso tempo juntos vai ser mais feliz. Envio minhas mais profundas condolências para sua mãe e toda a sua família e aos seus inúmeros fãs ao redor do mundo".
Paul McCartney, que gravou com Michael Jackson a música “The Girl is Mine” do antologico disco "Thriller" de 1982

"Difícil saber o que dizer - o que sentir. Eu me encontro pensando no que teria acontecido em sua turnê... o número de datas no Reino Unido com as quais ele havia se comprometido era insano. Eu tinha uma sensação de que era impossível, mas eu fiquei chocado em saber que ele se foi tão subitamente. Muito triste. É claro eu ainda penso nele como um garoto - ele costumava vir nos ver (Queen) tocar quando estávamos em turnê nos EUA, e ele e Freddie se tornaram amigos próximos, próximos o suficiente para gravarem algumas faixas juntos na casa de Michael. Faixas que nunca viram a luz do dia. Michael era o garoto astro do JACKSON FIVE, e sempre foi o que mais chamou atenção. Eu lembro em seu show, eles tentavam fazer todos os irmãos soarem iguais na apresentação, mas era abundantemente óbvio que a maioria das fãs realmente queria ver o pequeno Michael. Foi Michael que ouviu nossa faixa 'Another One Bites The Dust' e veio nos ver na turnê 'The Game'... e nos disse que seríamos loucos se não a lançássemos como um single.

É claro que isso foi muito antes da carreira solo monstruosa de Michael começar... mas ele sempre estava procurando aquela fusão entre funk e rock, preto e branco, e o álbum 'Thriller' foi a consumação daquela busca. Há muitas similaridades entre ele e nosso álbum 'Hot Space'... mas nosso timing estava errado, realmente. Michael acertou em todos os aspectos... incluindo timing... o mundo simplesmente estava pronto para isso... e claro que ele estava procurando isso mas vindo de uma direção oposta. Impressionantemente, após Freddie e Michael passarem algum tempo gravando, Freddie voltou e tocou pra gente o trabalho em progresso e falou que Michael havia tido a idéia de um ótimo nome para álbum... "BAD" (mau). Algum tempo depois Freddie sorriu com seu pequeno, mal intencionado sorriso de conspiração, e disse... 'eu tenho uma idéia perfeita para o nome do NOSSO álbum - vocês podem amar ou odiar... mas pensem sobre isso... nós podemos chamá-lo de... espere por isso... GOOD (bom)'!!!

Eu acho que o mundo é um lugar mais colorido graças ao trabalho de Michael... ele foi um verdadeiro cantor no seu ápice - e teve um grande time à sua volta, incluindo, é claro, o gênio Quincy Jones. Eu acho que ele se qualifica como um grande artista; ele dedicou todo seu corpo e alma à sua arte. Isso é como se, com todas as mudanças que ele fez em seu corpo, sua arte na verdade se tornasse seu corpo e sua personalidade. Sim, eu apenas espero que ele tenha ido feliz, com grandes esperanças de sua gloriosa turnê de retorno. Descanse em paz Michael."Brian May, guitarrista do Queen

"Eu estava seguindo da Polônia para Berlim após um show. Era uma da manhã quando recebí a notícia e fiquei imediatamente triste," ele disse. "Eu lembro ter seis anos e ver o Jackson 5 em nossa TV preto e branco. Seus irmãos eram legais mas ele tinha uma auréola sobre ele.

Superstar aos 12! Que promessa. Ele tinha mágica. Foi por acaso que gravei e rearranjei sua música 'Billie Jean' e fiquei surpreso pela resposta que ela tem quando a toco todas as noites. Ele foi incrivelmente talentoso e amplamente mal compreendido.

Eu espero que a mídia seja gentil e celebre o gênio que ele foi ao invés dos ângulos de tablóides que fizeram dele um prisioneiro. Eu acho que ele merece isso."Chris Cornell, que recentemente "coverizou" um dos hits de Michael, a música "Billie Jean"

"Nunca haverá outro Michael Jackson! O rei do pop está morto! E provavelmente está encontrando Farrah (Fawcett, que também faleceu ontem) em seus caminhos para o Paraíso... O Jackson Five foi o primeiro disco que eu tive, tenho sido um fã desde então, é muito triste ouvir estas notícias. Palavras de sabedoria para viver, de Michael Jackson: 'Então apenas aceite meu forte conselho, apenas lembre de sempre pensar duas vezes'". (Nota: trecho da letra de "Billie Jean") Eric Peterson, guitarrista do Testament

"Eu tinha este velho sistema de telefone no estúdio. O telefone tocou, eu peguei e tinha aquela voz dizendo: 'Yo, Eddie? É o Eddie?' Havia muito chiado, coisas do tipo. Eu disse: 'Sim, quem é?' Mas ele obviamente não conseguia me ouvir. Então eu desliguei, pensando que era um fã. O telefone tocou novamente, e a mesma voz disse. 'Ei, Eddie.' Então dessa vez eu gritei 'Imbecil' e desliguei. O telefone tocou pela terceira vez. 'Ei, Eddie, Eddie, é Quincy Jones'. Eu nunca me senti tão envergonhado.

Certas pessoas na banda naquela época não gostavam que eu fizesse coisas fora do grupo. Mas Roth estava na Amazônia ou em algum outro lugar, Mike estava na Disneylândia e Al estava no Canadá ou algo do tipo, e eu estava em casa sozinho. Então eu pensei, bem, eles nunca saberão. Sério: quem vai saber que eu toquei no disco de um cara negro? Michael disse: 'Amo essa música alta e rápida que você faz'. Então eu toquei dois solos e disse: 'Vocês caras peguem o que vocês quiserem'. Foram 20 minutos do meu dia, fiz isso de graça e depois todos ficavam me dizendo: você deveria ter algum royalty naquela música. Mas isso não importa pois Quincy escreveu para mim uma carta de agradecimento, e ele assinou 'O Imbecil'. Eu a emoldurei. Clássico.

Eu realmente estou em choque; como estou certo de que o mundo estará ao ouvir essa notícia. Tive o prazer de trabalhar com Michael em 'Beat It' em 83, uma das grandes memórias na minha carreira. Michael fará falta, e que ele possa descansar em paz." Eddie Van Halen, que gravou o famoso solo da música "Beat It"

"Estou em choque, como todo mundo deve estar. Meu coração e meus pensamentos estão com sua família neste momento difícil."
Priscilla Presley, mãe de Priscilla Presley e ex-sogra de Michael

"A primeira coisa que me lembro quando falo de Michael Jackson é de "Thriller", o grande disco de Michael Jackson, quando comecei tocar nas pistas, em 1982. Na minha opinião, Michael foi um cara importantíssimo não só dentro da música negra mas também ícone da música pop. Apesar dos altos e baixos de sua carreira, sua obra justifica seu talento."
Kid Vinil, 54, músico

"Michael Jackson teve importância tanto no Jackson Five como em sua carreira como artista individual. Agora, longe de polêmicas, sua música vai sobreviver assim como a música Elvis Presley, Frank Sinatra, Ray Charles, Bob Marley... Ele ajudou a música do Olodum, da Bahia e do Brasil com a divulgação do clipe "They Dont Care About Us". Esse clipe passou em 181 países do mundo e foi visto por cerca de 5 bilhões de pessoas. Dificilmente um artista brasileiro vai conseguir dar essa visibilidade ao Brasil nos próximos 20 anos."
João Jorge, presidente do Olodum que esteve com Michael Jackson na gravação do clipe de "They Don't Care About Us"

"Perdemos uma lenda, um ícone, um superstar chamado Michael Jackson. Acho que não há um homem, mulher, uma criança acima de 5 anos que não saiba quem ele foi. Isso, por si só, mostra que ele era conhecido, para o bem ou para o mal (no meu livro da vida, sempre no lado positivo, a parte negativa de sua história foi encoberta pela música)".

"Entre todas as minhas memórias de infância, há a de comprar meu primeiro single em vinil, 'I Want You Back' do Jackson Five. Aos 5 anos, eu ficava na frente do espelho, com uma colher improvisada como microfone, repetindo cada palavra cantada por Michael. Quando eu e Joey, meu irmão, tínhamos entre 7 e 8 anos, íamos a festas infantis em clubes de Nova York. E quando a música 'Rockin Robin' começava, ele usava os bancos e mesas como instrumentos de percussão, enquanto eu tentava atingir os tons vocais de Michael".

"Na última quinta-feira, eu estava testemunhando o nascimento de um supergrupo chamado Chickenfoot (com o eternamente jovem Sammy Hagar, o aniquilador do baixo Michael Anthony, o intocável Joe Satriani e o malvado Chad Smith), em Londres. Simultaneamente, era surpreendido com as notícias que vinham de Los Angeles. Uma noite inesquecível".

"Hoje e eternamente, celebrarei a música e a influência de Michael Jackson. Longa vida ao Rei do Pop, um dos meus mentores do microfone. Descanse em paz, Michael". Jeff Scott Soto, vocalista.


Michael Jackson: 1958 - 2009 (R.I.P. - Descanse Em Paz).







Postar um comentário

Mais Notícias

Notícias - KVR Audio News

Notícias - Sound On Sound Audio News

Notícias - Gearjunkies Audio News

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...